Categorias
Sem categoria

Canto Coral Infantil

Todo mundo já cantou embaixo do chuveiro alguma vez, né? Aposto que se você puxar aí na sua memória, vai lembrar daquele clássico que você cantou no banheiro um tempo atrás. Hoje, vamos falar um pouco do canto coral para crianças.

Você já leu o artigo sobre musicalização infantil aqui no blog? O canto coral infantil pode ser uma forma de musicalização. A realização de atividades musicais de forma lúdica, tais como: cantar, dançar ou ouvir uma canção é uma forma de inserir as crianças no fazer musical de forma prazerosa. E por que não cantar em um coro para aprender música?

Mas e se eu não for afinado? Muitas pessoas pensam que só podem cantar se forem afinadas. Elas estão certas, mas a afinação é algo a ser trabalhado e adquirido. Já diz o ditado: ninguém nasceu sabendo.

Vários são os fatores que podem interferir na desafinação, entre os mais comuns estão os de ordem psicológica, como: timidez, ansiedade, medo, entre outros. Para isso, trabalha-se relaxamento muscular e técnica vocal, de forma que a criança desenvolva a emissão sonora e também a percepção musical, o que consequentemente aperfeiçoará sua afinação.

Qual a melhor idade para iniciar o canto coral? De acordo com estudiosos do meio musical, a idade seria entre 9 e 14 anos, pois nessa idade os pulmões já estão completamente formados e as crianças estão aptas a usarem a respiração de modo eficiente e adequado para o canto. No entanto, independente da idade, os bons hábitos respiratórios devem ser incentivados desde cedo.

O canto é uma atividade física e como tal, necessita de um preparo para ser executado. Assim, antes de começarem a cantar, as crianças fazem um aquecimento que consiste em relaxamento, alongamento, postura adequada e administração da respiração. Esse trabalho desperta a consciência corporal dos jovens e permite melhor concentração nas atividades que seguirão.

O trabalhado desenvolvido no coro possibilita a iniciação no fazer musical com um instrumento que todos temos, a voz. Através das atividades feitas no coral é possível desenvolver a percepção musical, a afinação, a leitura, o senso de pulso e tempo e a independência das vozes. Além disso, o trabalho coletivo do coro proporciona às crianças a possibilidade de trabalhar em conjunto, de respeitar uma liderança, de manter-se em silêncio e de criar disciplina.

Dessa forma, as atividades do canto coral proporcionam não só a construção de um repertório coletivo, mas também noções musicai que servirão a outros instrumentos, caso o indivíduo futuramente escolha um. Você pode começar no coral da igreja, da escola, de um centro cultural ou uma ong e, assim, ter as primeiras noções de música. Se futuramente sentir necessidade, pode procurar um professor particular ou uma escola especializada.

Sendo assim, se você está a procura de um caminho para aprender música e ainda não encontrou, tente participar de um coral e experimente fazer música em conjunto. Espero ter ajudado.

Qualquer dúvida, mande nos comentários! Obrigada.

Texto escrito pela Professora Juliana Campitelli do CMM, formada em música pela Unicamp, leciona Piano e Musicalização Infantil no CMM Conservatório Musical.

Fonte: Rheinboldt, Juliana M.: Preparo vocal para coro infantil: análise, descrição e análise da proposta do maestro Henry Leck aplicado ao “Coro da gente” do Instituto Baccarelli.

Categorias
Sem categoria

Os benefícios da Educação Musical por Kátia Barrios

Vamos falar de papo sério?
Por meio da música, bebês e crianças aprendem a viver em sociedade. Seu filho não sabe fazer silêncio? Chora quando não consegue o brinquedo na hora que ele quer? Não sabe se relacionar com outras crianças? Tudo isso pode ser transformado, de forma simples e divertida: através da Educação Musical.

O envolvimento de crianças com o universo sonoro começa antes do nascimento, pois na fase intrauterina o bebê já convive com alguns sons provocados pelo corpo da mãe, como o coração batendo, a respiração e o sangue fluindo nas veias. Mamães gestantes procuram aulas de música atualmente, com a intenção de proporcionar através do toque, dos cânticos e da escuta, momentos de intercâmbio, paz, alegria e serenidade.

Após o nascimento, o bebê faz interações com diversos sons do cotidiano, como TV, automóveis, voz de pessoas, música, sons de animais; e assim desenvolve seu repertório de comunicação. A música tem importante papel na formação da criança, uma vez que, além de adquirir sensibilidade aos sons, ela desenvolve diversas qualidades, como concentração, coordenação motora, socialização, respeito a si e ao grupo, disciplina e outras características que colaboram na formação do indivíduo.

Muitos estudos confirmam esses benefícios adquiridos com a musicalização na infância. Vale destacar Andrzes Janicki, médico polonês especializado em musicoterapia, que realizou experiências nesse campo e concluiu que a música influencia nas funções de numerosos órgãos internos, na função psíquica e na memória. Tais influências se revelam diretamente no ritmo cardíaco, pressão arterial, secreção do suco gástrico e no metabolismo. O que significa que quem tem contato com a música, por diversas formas, pode sofrer menos com stress e com o medo, problemas considerados como “doenças da modernidade” principalmente em jovens, adultos e terceira idade.

A musicalização é altamente aconselhada por especialistas em crianças com deficiência. Em todos os momentos de uma aula de música, há espaço para o exercício sensível e cognitivo. Com um trabalho de sonorização de estórias, invenção de composições, brincadeiras, jogos de improvisação, elaboração de arranjos, audições, cantorias, desenhos de partituras, construção de instrumentos, os alunos percebem e entendem os sons, o silêncio e se desenvolvem na arte da educação Musical.

É sonho de todos os pais que seus filhos se desenvolvam primorosamente, de modo que estes caminhem para a autoemancipação e, assim, tornem-se Seres Humanos íntegros norteados pela sensibilidade, socialização, concentração, equilíbrio e organização.

Katia Barrios (Pedagoga e Diretora do Conservatório Musical CMM)

Categorias
Sem categoria

O que é musicalização infantil? “Musicalizar-se: torna-se sensível a música, de modo que a pessoa reaja, mova-se com ela.”

Resolvi escrever esse artigo, porque frequentemente nas escolas onde trabalho vejo pais perguntando sobre musicalização infantil. Querem saber do que se trata e se é mais interessante proporcionar aos filhos a aula de musicalização ou já colocá-los em contato com um instrumento musical. A resposta para essa pergunta depende de alguns fatores, como: idade da criança, se essa já teve ou tem contato com o fazer musical, entre outros. Assim, vou tentar esclarecer aqui o que é essa prática, a quem se destina e qual sua importância, especialmente aos iniciantes.
Bem, antes de tudo, uma pergunta muito importante: você sabe o que é música?Música é uma linguagem artística que tem por objetivo comunicar a experiência de quem a compôs. Ora, para que haja comunicação é necessário que haja também compreensão, certo? 
 A compreensão musical se dá de forma distinta em relação a linguagem escrita, a qual estamos acostumados. Por ser resultado das experiências humanas, sua compreensão depende de fatores culturais e sociais nos quais está inserida. Assim, compreender e fazer música não é uma questão mística ou de empatia, mas sim de uma sensibilidade adquirida a partir do contato com o fazer musical.
Nesse sentido, a aula de musicalização é um processo que possibilita aos participantes adquirir ferramentas para melhor compreender a música e, consequentemente, executá-la.

Geralmente feitas em grupo, as aulas propiciam o aprendizado de forma lúdica e empírica. Brincar faz parte do cotidiano infantil, assim trabalhar jogos e canções em roda, torna o fazer musical algo mais natural para as crianças. A prática pode trabalhar apreciação musical, improviso, história da música e execução instrumental. Tais atividades possibilitam o desenvolvimento de habilidades musicais de forma mais interessante, pois muitas vezes esses aspectos são abordados de forma teórica nas aulas de instrumento, o que resulta em uma situação abstrata e pouco eficaz aos alunos iniciantes.
Além do desenvolvimento de habilidades musicais, a aula de musicalização é uma forma de propiciar a socialização de seus participantes, trazendo a possibilidade de trabalharem em conjunto, de ouvirem uns aos outros e de respeitarem uma liderança. Também deve-se atentar a possibilidade do contato com gêneros musicais diversos e que muitas vezes estão distantes daquilo que é veiculado na mídia, ampliando os horizontes musicais das crianças.
Por fim, minha resposta para a pergunta: quem “deve” participar das aulas de musicalização? Bem, todos aqueles que desejam fazer música poderiam passar por esse processo, mas especialmente as crianças que estão iniciando seus estudos musicais, visto todos os pontos citados acima.
 Espero que tenha ajudado a esclarecer um pouco sobre o tema. Qualquer dúvida, mande nos comentários. Obrigada.

Texto escrito pela Professora Juliana Campitelli do CMM, formada em música pela Unicamp, leciona Piano e Musicalização Infantil no CMM Conservatório Musical.

Fonte: Música(s) e seu ensino. Maura Penna.

https://professoradepiano.com.br